quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Clique com o coração, edite com o cérebro

Por Waldyr Neto - 



Nesse novo artigo eu pego uma carona na citação do fotógrafo sueco Anders Petersen:


"Shoot from the gut, edit with your brain"


"Clique com o coração" não é a tradução exata de "Shoot from the gut", pois "gut" está mais para estômago, ou vísceras. Talvez isso faça mais sentido dentro do estilo de fotos do Anders Petersen - retratos, street, cotidiano... Nas fotos de paisagem eu gosto de pensar que eu clico com o coração.

Sobre a segunda parte da citação - "edite com o cérebro" - vamos entender aqui o sentido da palavra em inglês onde editar = edit, que quer dizer selecionar as melhores fotos. O processo seguinte, o tratamento, seria o treatment ou post-processing. Como quase toda a literatura sobre fotografia é em inglês, é importante ter esses termos bem entendidos.

Mas de volta ao nosso assunto...


Clique com o coração

Foto de Gisele Rossignoli

O momento do clique deveria ser de inspiração - a espera pela luz, a busca da composição, a percepção do momento mágico que merece ser capturado. É preciso estar tranquilo e ao mesmo tempo atento. É preciso manusear o equipamento de forma praticamente mecânica, o que requer estudo e prática.

Essa é a hora de experimentar, ousar, deixar a intuição te levar. Buscar enquadramentos criativos, testar ideias, registar um tema interessante sob vários pontos de vista.





Jacuzzis do Monte Roraima sob vários ângulos


Edite com o cérebro

Lembrando aqui que editar é o ato de selecionar as melhores fotos - atividade para fazer em casa, tranquilo, e de preferência algum tempo depois das capturas. Isso pode soar estranho, pois é comum termos uma ansiedade de ver e mostrar nossas fotos recentes.

Foto de Gisele Rossignoli

Esse intervalo é importante e serve para que as emoções envolvidas na captura não interfiram na nossa avaliação.

Mas que emoções são essas? Alguns exemplos:


  • Eu aprendi uma técnica nova, esperei dias até poder sair para fotografar e aplicar essa técnica. Quando fui para campo consegui aplicar a técnica e fiz um tipo de foto que eu sonhava fazer...  
  • Eu planejei uma foto em detalhes, local, data, enquadramento. Quando fui para campo tudo deu certo e eu voltei para casa com a minha foto...
  • O tempo estava fechado. Nada indicava que ia abrir, mas na "hora H" tudo clareou e eu consegui a minha foto...
  • Eu sonhei a vida toda em conhecer um lugar. Um dia eu viajei e lá estava eu, fotografando o lugar dos meus sonhos...


Repare que nos casos acima a captura pode estar associada a fortes sentimentos de realização, de atingir um objetivo. E essa carga de sentimentos pode nos induzir a uma avaliação totalmente equivocada das nossas fotos.

Uma foto é boa quando ela se resolve sozinha; não quando ela representa a satisfação de atingir um objetivo, ou quando ela trás boas recordações, ou quando ela está associada a bons sentimentos.


Daí ser tão difícil avaliar nossas próprias fotos de forma isenta.

Daí ser tão importante deixar passar algum tempo entre a captura e a avaliação.

Daí ser tão importante submeter nossas fotos para a avaliação de terceiros.


Foto de Flávio Varricchio


Eu mesmo confesso que sou um fotógrafo bastante impulsivo, tanto para descer um barranco correndo para achar um enquadramento interessante, quanto para chegar em casa ansioso para ver e tratar as fotos. E normalmente eu me arrependo disso... 

Com frequência eu garimpo fotos antigas e constato que publiquei na época uma foto mediana e não percebi uma foto muito melhor. Na primeira análise fui guiado pelo sentimento envolvido na captura. Na segunda pela avaliação isolada da foto.

Hoje eu me policio para não cometer esses erros. Antes de publicar uma foto no meu portfólio eu posto em fóruns, mostro para amigos, etc. Junto a minha percepção com a percepção de terceiros e formo uma análise mais isenta. 

O processo de "renegar" algumas das nossas fotos pode ser tão traumático que essa seleção do que não mostrar costuma ser chamada de "kill your babies" em inglês, numa alusão à alguns animais, em geral aves, que decidem alimentar os filhotes mais fortes, deixando morrer os mais fracos. 

Então é isso... Kill your babies e mostre apenas o que deve ser mostrado. Descarte as fotos ruins e médias, selecione e trate as boas. Seu portfólio agradece.

Foto das Jacuzzis do Monte Roraima que foi selecionada, tratada e publicada


Se você gostou do artigo e que ir mais à fundo, conheça o Workshop de Fotografia de Montanha




segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Expedição Fotográfica aos Portais de Hércules - Edição Noturna

com Waldyr Neto - 


Venha conhecer e fotografar algumas das mais belas locações do Parque Nacional da Serra dos Órgãos com acompanhamento do fotógrafo e montanhista Waldyr Neto.



Dias 25 e 26 de novembro (saída confirmada - últimas vagas)


Nossa expedição envolve uma caminhada noturna até os Portais de Hércules, onde vamos assistir e fotografar o amanhecer. Com sorte podemos até fotografar estrelas na nossa passagem pelo Morro Açu. A logística envolve uma janta reforçada na Pousada Paraíso Açu, chá com lanche leve no Morro Açu, um café da manhã reforçado nos Portais de Hércules e um almoço no deck da Pousada, após nosso retorno no domingo.



(clique na imagem para ampliar)

Programação:



  • Sábado, 25/nov
    • 18:30h - Encontro, briefing, preparativos e janta na Pousada Paraíso Açu
    • 21:30h - Entrada no Parque e subida noturna do Morro Açu
  • Domingo, 26/nov
    • Madrugada de domingo - fotografia noturna / estrelas no Morro Açu, com lanche leve
    • Caminhada noturna até os Portais de Hércules
    • Assistir e fotografar o amanhecer nos Portais de Hércules
    • 7:00h - Café da manhã nos Portais de Hércules
    • Caminhada de retorno
    • 13:00 - Almoço na Pousada Paraíso Açu
    • Encerramento  


 * Todas as atividades fotográficas serão acompanhadas por mim *

Algumas imagens:

A Pousada Paraíso Açu



Noite no Morro Açu


Portais de Hércules



A equipe de apoio é composta de 5 integrantes – dois guias para as caminhadas e três envolvidos no transporte e preparo das refeições. Todos bastante experientes.

Cada participante deve chegar em Petrópolis por seus próprios meios. Ou vai direto para a Pousada ou vai para a rodoviária de Petrópolis, de onde sai um ou dois carros para a Pousada. Esse traslado Rodoviária - Pousada e retorno também está incluso no pacote.

O que cada um deve levar:
  • Mochila média com material fotográfico - câmera, lentes, tripé
  • Lanterna
  • Agasalhos
  • Cantil
  • Lanche leve para a trilha
  • Capa de chuva ou poncho
  • Recomendável levar bastões de caminhada



Pré-requisito fundamental

Estar em condição de fazer uma caminhada classificada como pesada (em torno de 6 horas de subida). Não precisa ser atleta, mas tem que estar bem fisicamente. No total caminharemos aproximadamente 13 horas em dois dias.



Investimento:

R$ 840,00, em duas parcelas de R$ 420,00 (uma na inscrição e a outra no evento)

Desconto especial à vista: R$ 760,00 no ato da inscrição.


Os ingressos do Parque não estão inclusos, devendo ser comprados por cada participante (as políticas de compra de ingressos do Parque não permitem mais a compra de um lote grande de ingressos por uma pessoa ou empresa). Custo em torno de R$ 60,00 por pessoa - orientações após a inscrição.




Solicite sua ficha de inscrição: waldyr.neto@yahoo.com.br




Conheça o Workshop de Fotografia de Montanha



quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Workshop de Fotografia de Montanha

Com o fotógrafo e montanhista Waldyr Neto



O Workshop de Fotografia de Montanha já está no seu quinto ano. Ao todo foram mais de 300 alunos que apostaram no curso e na ideia de aprender fotografia em sala de aula e em vivências de campo. Uma experiência divertida e valiosa, que vem criando novas amizades e até contatos de trabalho. As turmas são pequenas para permitir que eu acompanhe a todos, tire dúvidas, ajude nas regulagens e oriente nas questões mais subjetivas, como o enquadramento e detalhes do tratamento. Hoje vejo com orgulho que vários ex-alunos estão fazendo fotografias notáveis, vencendo concursos, inspirando novos fotógrafos. Se você acredita nessa proposta, faça contato. Venha conhecer o Workshop de Fotografia de Montanha.

Waldyr Neto

Calendário: 

Próximas turmas:


Petrópolis - dias 2 e 3 de dezembro
Serra do Lopo - dias 9 e 10 de dezembro
Três Picos - temporada encerrada. Novas turmas a partir de abril de 2018

Entre em contato e solicite sua inscrição ou se preferir solicite a montagem de uma turma exclusiva com seus amigos em local e data de sua preferência.

waldyr.neto@yahoo.com.br

Locais dos Cursos:

Petrópolis

Localizada na Região Serrana Fluminense a Cidade Imperial é repleta de atrativos históricos e naturais. A parte teórica do curso e a hospedagem são no Espaço Conjunção Terapias Integradas, Um local agradável e tranquilo. Lá sempre temos comida caseira e a simpatía do nosso anfitrião Louis Perry. E as atividades de campo são nas montanhas da Serra dos Órgãos e Serra da Estrela. O workshop de Petrópolis pode ser a opção de quem mora no estado do Rio de Janeiro, ou na zona central de Minas (Juiz de Fora, Belo Horizonte e arredores). Para quem vem de São Paulo existem linhas de ônibus noturnas e o translado da rodoviária de Petrópolis para o local do workshop está incluso no pacote.

Amanhecer no Alto da Ventania

Pôr do Sol nas montanhas do Tinguá

Serra do Lopo

Localizada na Serra da Mantiqueira e com acesso pela cidade de Extrema-MG, a Serra do Lopo é um belo afloramento rochoso com trilhas fáceis e lindas vistas. O workshop acontece na Pousada Céu da Mantiqueira a 1.600m de altitude, com opções de quartos, chalés e camping. A boa comida mineira e a recepção calorosa da Cely e da Jade são o forte da casa. Estando a 110km de São Paulo, a Serra do Lopo é a opção preferencial para os paulistas e moradores do Sul de Minas.

Pico do Lopo visto da Pedra das Flores

A Pousada Céu da Mantiqueira

Três Picos

Localizado na Região Serrana Fluminense, o Parque Estadual dos Três Picos é a maior unidade de conservação do estado do Rio de Janeiro. As montanhas que dão nome ao parque são as mais altas da Serra do Mar, e seus imensos paredões rochosos são o paraíso dos escaladores mais aventureiros. O entorno das montanhas é uma região rural com moradores simpáticos e receptivos e onde podemos compra queijo, mel, cerveja artesanal, etc. O workshop acontece no Refúgio Canto da Pedra, do conhecido escalador Alexandre Portela. Pizza no forno à lenha e outras iguarias são o forte da casa. As atividades de campo acontecem no entorno dos Três Picos e no Vale dos Frades. Opção preferencial para moradores do estado do Rio de Janeiro, em especial da capital, Região Serrana e região próxima a Macaé e Campos.

Três Picos e Capacete acima das nuvens

O refúgio Canto da Pedra

Público-alvo:

  • Montanhistas que queiram ter a fotografia como segundo hobby, registrando as belezas das trilhas e montanhas.
  • Fotógrafos que gostem de fotografia de paisagem / montanha.
  • Fotógrafos em geral, que queiram dar um passo além das regulagens automáticas da câmera e que queiram evoluir em termos de composição fotográfica, captura digital e tratamento de imagens.

Alguns depoimentos de quem já fez:



"Waldyr eu que agradeço toda sua dedicação e competência. Foram momentos mágicos e o início de um aprendizado muito importante para mim. Tudo funcionou de forma magnífica" André Caúla 

"O workshop foi muito além do que eu esperava e quero fazer mais coisas quando for surgindo e eu puder ir. Você é muito profissional e atencioso. Achei super interessante como você consegue dar uma atenção específica para cada pessoa, identificando e respeitando cada peculiaridade. Sem dúvida, para mim, isso foi um aprendizado além da fotografia. Paulo Maciel

"Para quem gosta de viajar e fotografar, esse workshop se encaixa perfeitamente. O professor Waldyr nos levou aos lugares certos nas horas certas. Com os conhecimentos que ele nos passou, já consegui perceber que minhas fotos melhoraram." Abraços Hugo Chinaglia

"Sem palavras para descrever o seu profissionalismo. Não apenas como montanhista e fotógrafo como você é, e que todos sabem, mas por ser uma pessoa de alma aberta, sem egos, além de ser um incrível professor. Muito obrigada por tudo!" Bianca Scheuermann.

"Excelente o workshop. Direto, objetivo, prático! Repleto de dicas que não se encontram em livros! Recomendo para montanhistas que curtem fotografia (meu caso) e para fotógrafos que querem ampliar seus conhecimentos, incorporando a fotografia de montanha ao seu portfólio" Fábio Fliess, montanhista

Ola Waldyr, só temos a agradecer e parabenizar pelo curso. O aprendizado, organização do evento, a acolhida por parte de todos, aventura, beleza, boa comida... Muito bom, tudo! Um grupo muito bacana! Nos divertimos muito. Flaviane Koti


Clique aqui para ver mais depoimentos


Pré-requisitos:

  • Ter uma máquina que permita regulagens manuais de abertura, velocidade e sensibilidade ISO. (É desejável que o participante tenha também um tripé).
  • Ter vontade de dominar os conceitos técnicos de captura e tratamento de fotos, de planejamento e composição fotográfica em ambiente de montanha / natureza.
  • Ter disposição para fazer caminhadas em montanha (caminhada leve-superior = até 2 horas de subida), incluindo caminhadas noturnas.
  • Para estas caminhadas levar mochila, água e agasalho e lanterna.

Programação do Workshop:

Sábado:
Chegada e café da manhã
Manhã: 1ª parte da teoria
Almoço
Tarde: saída para caminhada e fotografias do entardecer
Jantar / confraternização

Domingo:
Madrugada: saída para fotografar o amanhecer
Café da manhã
2ª parte da teoria e entrega dos certificados
Almoço e tarde livre


Investimento:

Entre em contato e solicite sua ficha de inscrição com todas as informações, incluindo preços, condições de pagamento e a questão dos acompanhantes.

waldyr.neto@yahoo.com.br


Detalhamento do conteúdo do curso:


Equipamentos:


  • Tipos de câmeras digitais
  • A importância de um bom tripé
  • Acessórios importantes - kit de limpeza, cartões, bloco, etc.
  • Mochilas de montanha x mochilas de fotografia

Conceitos Fundamentais da Fotografia


  • O princípio ótico da fotografia
  • Como funciona uma câmera - D-SLR, mirrorless
  • RAW, o negativo digital
  • Exposição - abertura, velocidade, sensibilidade ISO
  • Fotometria - luz incidente, luz refletida. Entenda como a câmera erra no modo automático.
  • Range Dinâmico, aprendendo a lidar com as limitações do sensor digital.
  • Compreendendo o histograma - técnica de fotometria ETTR.

Técnicas Específicas para Fotografia de Montanha e Paisagem


  • Hiperfoco
  • Fotos na mão x tripé
  • O uso do filtro polarizador circular
  • O uso dos filtros ND
  • O uso dos filtros graduados 
  • O flash de preenchimento
  • Capturando imagens para montar uma panorâmica
  • Capturando imagens para fazer um HDR
  • Efeito de véu em cachoeiras
  • Fotografando paisagens com estrelas

Composição Fotográfica


  • Conceitos básicos (explicação e exemplos):
    • Regra dos terços
    • Elementos de balanceamento
    • Linhas guia
    • Ponto de vista criativo
    • Profundidade
    • Molduras naturais
    • Recorte
    • Noção de Escala
  • O elemento humano nas fotos de paisagem - debate
  • Compreendendo o fluxo do olhar - como uma foto "rouba" o nosso olhar?
  • Aspect ratios - os formatos clássicos da fotografia
  • Quando optar por cor ou PB

O Montanhista Fotógrafo / O Fotógrafo Montanhista


  • Equipamentos básicos de montanhismo - calçado, mochila, vestuário...
  • Caminhando
  • Alimentação na trilha
  • Acampamento
  • Mínimo impacto ambiental
  • A questão do acesso às montanhas e áreas naturais

Planejamento para Fotografia de Montanha


  • Fotógrafo, um observador...
  • As estações do ano
  • Tipo de nuvens
  • A luz ao longo do dia - exemplos e técnicas
  • Compreendendo a Hora Mágica
  • Previsão do tempo
  • Planejando fotos com o TPE - The Photographers Ephemeris
  • Uso de bússola ou GPS
  • Planejamento reverso
  • A incerteza, convivendo com sucessos e fracassos
  • Execução, a hora da verdade. Dicas para não pôr tudo a perder no momento decisivo.

Pós-Produção


  • O fluxo de trabalho - backups, catalogação, seleção, tratamento...
  • Tratar ou não tratar as fotos?
  • Softwares de edição
  • Ajustes básicos
  • A importância do Tone Mapping
  • Nitidez e redução de ruído
  • Tratamentos localizados
  • Panorâmica
  • HDR
  • A conversão para PB

Análise de Fotos


  • Análise de fotos para desenvolvimento do senso crítico.
  • Como melhorar nosso portfólio.

Reserve sua vaga!

waldyr.neto@yahoo.com.br



Aqui uma coleção de fotos dos nossos encontros, que envolvem aventura, superação, confraternização e aprendizado:






























Inscrições: waldyr.neto@yahoo.com.br